José Aurélio, «Até ao Fim do Mundo», 1963. Alianças de casamento de José e Alice Aurélio (ouro). Cortesia: Joana Aurélio. Fotografia: Eduardo Sousa Ribeiro
Slider
            EXPOSIÇÃO
 
ANTOLOGIA DA OBRA DE JOALHARIA
DO ESCULTOR JOSÉ AURÉLIO
Curadoria de Laura Castro
Design expositivo de Filipe Alarcão
Inauguração 27 de julho, terça
Até 25 de setembro, sábado
Galeria Pintor Fernando de Azevedo
A obra escultórica de José Aurélio é de grande relevo e longevidade, assumindo particular destaque no espaço público. Em paralelo, a sua obra de joalharia foi desenvolvida em estreita afinidade com o seu restante trabalho, como manifestação das suas relações e memórias de amor e até como reflexo do seu posicionamento político.
José Aurélio iniciou as suas primeiras experiências na joalharia no Estúdio SECLA, nas Caldas da Rainha, a partir de 1958. A joalharia passou a ser uma constante na sua vida até à atualidade, numa produção de mais de 60 anos. Projetadas nos mais diversos materiais (cerâmica esmaltada e vidrada, ouro, prata, chumbo, plástico, coral, elementos preexistentes), as suas peças distinguem-se pela sua expressividade e simbolismo. Bárbara Coutinho (MUDE)
 
Parceria MUDE – Museu do Design e da Moda, Sociedade Nacional de Belas-Artes e PIN.
.