Ruudt Peters. Fotografia: Conor Vella
Ruudt Peters, SUCTUS, «Aspirazione», 2018. Broche (prata e poliéster). c. 10 x 7,2 x 4,4 cm. Fotografia: Conor Vella
Ruudt Peters, BARA, «Forat», 2021. Broche (prata, grafite e ouro). 4 x 4 x 3,5 cm. Fotografia: Conor Vella
Ruudt Peters, NEBULA, «Dabad», 2020. Broche (prata, vidro e ouro). 7 x 7 x 5,5 cm. Fotografia: Conor Vella
previous arrow
next arrow
Slider
            EXPOSIÇÃO
 
EM BAIXO, COMO EM CIMA
RUUDT PETERS
Curadoria de Paula Crespo e Ruudt Peters
Inauguração 15 de setembro, quarta
16h–18h
Até 15 de outubro, sexta
RUUDT PETERS apresenta as suas três mais recentes séries de trabalho: SUCTUS, NEBULA e BARA. Perdemo-nos na sucção da luz em SUCTUS. O vaso liga-nos tanto ao início como ao fim, ao banho de bebé e ao caixão. NEBULA mostra-nos uma fugidia proximidade; não conseguimos apreender o todo, sentimos o mistério de nos movermos na bruma. BARA é o buraco negro no espaço, destruindo tudo; é a morte. Olhamos para a terrível escuridão e para a vida após a morte. Peters usa a joalharia como metáfora para captar as nossas experiências mentais e físicas da dualidade entre o Cosmos e o centro da Terra. "em baixo, como em cima".
.