EXPOSIÇÃO
 
FERIDA ABERTA
GRUPO BROCA
 
Inauguração
11 de setembro, sábado
18h–21h
Até 25 de setembro
Segunda a sábado
14h–17h
 
15 setembro, quarta
Diálogos. Debate moderado por Ana Paula de Campos
14h–16h
16 setembro, quinta (excepcionalmente)
09h–14h
 
 
 
FERIDA ABERTA, do Grupo Broca, está subordinada ao tema da Bienal «Suor Frio» e debruça-se sobre a história do Brasil, tentando desvendar as particularidades e subjetividades de sua colonização e as marcas estruturais que carregam até os dias de hoje. Debatendo as suas visões, vivências e posições dentro deste momento delicado, apontando o dedo para as feridas nunca cicatrizadas desse corpo chamado Brasil. 
GRUPO BROCA (BR) é formado por dez artistas — Clau Senna, Kika Rufino, Maria Alves de Lima, Marina Sheetikoff, Miriam Andraus Pappalardo, Nicole Uurbanus, Renata Meirelles, Renata Porto, Silvia Beildeck, Thais Costa — com trajetórias diversas, mas que têm em comum a linguagem da joalharia contemporânea como principal forma de expressão. A sua dinâmica de trabalho compreende encontros periódicos, envolvendo estudo, análise crítica e pesquisa prática. Através de exercícios de reflexão e caráter investigativo, cada uma das integrantes do grupo aprofunda o seu próprio projeto pessoal, que se constrói entre vocabulários individuais e agenciamento coletivo, promovendo um fazer que é fruto de diálogo e questionamento. Dessa polifonia fazem o seu coro.